30 de out de 2010

PROJETO NATAL



Projeto Natal - Educação Infantil

Segue mais um projeto para o Natal, esse eu encontrei no blog da colega Andreza : 




Projeto Natal
PROJETO Natal
E.M.E.I
Professoras: Vanessa e Flávia
Duração : 1 MêsI
– JUSTIFICATIVA:
Qual a tradição que nossa família possui para comemorar o Natal? Qual a origem desta tradição? E as origens das peculiaridades desta festa, como as meias na lareira, o pinheirinho, a bola de enfeite, o canto do galo, as castanhas, a troca de presentes, o presépio?
Qual o significado histórico/religioso do Natal?Este projeto surgiu ao pensarmos no tema Natal, no quanto ele pode ser atrativo para as crianças, nas questões acima e em tantas outras que poderão surgir na busca de respostas às mesmas. Pretende-se conduzir uma série de atividades que facilitem a aquisição e construção de conhecimentos das tradições de Natal pelos alunos de forma participativa, descontraída , buscando integrar a perspectiva de diversas áreas envolvendo aspectos históricos, sociais, culturais, biológicos, comerciais, etc.II
- Conteúdos:
1. CONTEÚDOS
CONCEITUAIS:
• Saber sobre a origem da data, quem foi Jesus?
• Reconhecer a importância das boas ações para nossa vida.
• Compreender a importância do nascimento de Cristo para a Humanidade, e o que ele nos ensinou.
• Conhecer os significados dos vários símbolos natalinos:- Por que na ceia de Natal sempre há castanhas? (Ciências)- Por que Papai Noel usa roupas de inverno? (Geografia)- Por que as pessoas trocam presentes no Natal? (História Religiosa)- Por que tem gente que como peru no Natal? (História)- Qual o significado dos enfeites como pinheirinho, bolas de vidro, neve, presépio, meia na lareira, etc? (História)- Qual pode ser o motivo dos "amigos-secretos" entre os familiares? (Economia)- E os contos, filmes, sobre o Natal ?... Que tal ler, assistir, discutir, escrever sobre eles• Perceber a importância de se estar junto de quem se ama, confraternizando e compartilhando do verdadeiro espírito de Natal!
2.CONTEÚDOS PROCEDIMENTAIS:
• Ouvir histórias, poesias e textos informativos relacionados ao tema.
• Realizar atividades que proporcionem a confraternização, o construir conjuntamente.
• Observar as diversas tradições de comemorar o natal pelo mundo, inclusive dos países não Cristãos.
• Analisar as comemorações das famílias dos alunos e discutir sobre as diferenças.
• Ouvir músicas, assistir a vídeos que tratem do tema.
• Construir presentes artesanais que serão trocados nos amigos-secretos.
• Confeccionar enfeites para a árvore da Emei.
• Realizar atividades diversificadas que envolvam todas as áreas do conhecimento.
3. CONHECIMENTOS ATITUDINAIS
• Que a criança saiba que o natal representa o amor de Jesus, e a importância de suas mensagens para melhorar o mundo em que vivemos.
• Que perceba o verdadeiro significado de praticar boas-ações e continue a fazê-las todos o dias de sua vida.
• Participar de momentos de união que os socializem e os marquem para sempre positivamente.
• Ser um agente multiplicador de conhecimentos sobre• Valorizar a família,• Desvencilhar o natal do comercial, da necessidade do presente.
II – OBJETIVOS GERAIS:
• Incentivar a criança e o jovem a vivenciar o amor e o respeito pelas pessoas;
• Valorizar a convivência familiar, a vivência do amor entre as pessoas;
III- ETAPAS PREVISTASLINGUAGEM ORAL E ESCRITA
• Leitura de textos, histórias poesias que falem sobre o assunto.
• Produção coletiva de pequenos textos.
• Escrita espontânea.
• Cruzadinhas, caça-palavras.
• Atividades com alfabeto móvel.
• Atividades diversificadas envolvendo a escrita de palavras significativas sobre o assunto estudado.
MATEMÁTICA
• Situações-problema envolvendo o tema.
• Estatísticas (quantos países comemoram o natal, quantos não comemoram).
NATUREZA E SOCIEDADE
• Observação do ciclo da água.
• Conversa sobre o desperdício da água nas diversas situações cotidianas.
• Experiências diversas com a água nos estados : sólido/líquido/gasoso.
• Passeio ao redor da escola observando a ação da chuva no bairro e a ocorrência de esgoto a céu aberto.
• Vídeos que abordam o tema.
• Pesquisa sobre as comemorações do Natal pelo mundo e suas peculiaridades.
ARTES VISUAIS
• Desenho livre e de observação.
• Recorte e colagem
• Dobraduras
• Releitura de obras de arte
• Modelagem com areia e argila
• Técnicas de pintura.
• Confecção de caixinhas para a troca de presentes.
• Confecção dos enfeites da árvore.
• Confecção dos tsurus pelas professoras ( 20 cada)MÚSICA E MOVIMENTO
• Atividades diversas , músicas e cantigas relacionadas ao tema.
• Cd especial de natal (gravado especialmente para a data)
• Corais de músicas natalinas
AVALIAÇÃO
• Hora social e/ou exposição de trabalhos.
• Carinha das crianças.DESENVOLVIMENTO
1ª Etapa
• Fazer um levantamento com as crianças sobre o que sabem sobre o natal, relatando também como é comemorado o natal em sua casa, Se na família de alguma criança não possuir esta tradição, questionar os motivos deste fato.
• Assistir o vídeo sobre o nascimento do menino Jesus, e depois construir o presépio junto de cada professora,
2ª Etapa
• Cada professora confeccionará 20 tsurus e fará um pedido de natal, ou um agradecimento com a turma depois de conhecerem a lenda japonesa.
• Pindurar os Tsurus pela escola.
• Cada turma criará um cartaz do seu gosto com uma mensagem de natal criada pela turma para enfeitar as paredes do pátio.
• Cada professora encherá 20 bexigas para enfeitar a escola na semana do natal.
• Cada turma será responsável por confeccionar 10 enfeites para a árvore de natal, de acordo com as sugestões. (Ver final do plano)
.3ª Etapa
• Apresentar no final do projeto (dia da confraternização final), ou uma música, dança ou peça de teatro.
• Cada turma fará um pequeno painel com atividades feitas durante o projeto para exposição.
• Fazer uma oficina com as crianças de confecção de caixinhas de presentes, que serão pintadas por eles e com balas, e serão trocadas através de amigo-secreto.
Trocar bilhetes também.Sugestão de coro-falado:NASCE JESUS(Para três crianças)
1 - Nasce Jesus, fonte de luz,descem os anjos cantando,
2 - Nasce Jesus, fonte de luz!Trevas vem pois dissipando.Nasce Jesus, fonte de luz!Rompe as cadeias do forte,raia o dia da salvação,triunfante vem!
3 - Salve Jesus! Ó firma teu justo impériograto louvor os homens e os anjos dêem!
Todos: Nasce Jesus, fonte de luz!
Oh, glória a Deus nas alturas!
Paz na terra aos homens,a quem quer ele bem!
DEUS NOS AMOU
1 - Deus nos amou e nos mandouCristo seu filho querido!
Deus nos amou e nos encarnou!Vede o menino nascido!
2 - Deus nos amou! Deus no amou!
Digam-no todos os povos!
Gozam paz e salvaçãotodos os que crêem!
3 - Reino bendito!
Reino de amor divino!Eis que as nações resgate por Cristo têm!
A MENSAGEM DE AMORJUNTAS:Todas as belezas,Que há na terra e céus,para nosso encanto,criou-se nosso Deus.
1ª criança - (com uma cestinha de flores)Deu à flor mimosa,cores de encantar,deu ao passarinho,seus cânticos sem par.
2ª criança - (com uma cestinha de frutas).Da invernia o vento,céu azul, verão,as maduras frutasnos vem de sua mão.
3ª criança - (com uma Bíblia na mão).Deu-nos a santa lei,salmos de louvor;mandou os profetasfalar do seu amor.Mas o homem surdonão deu atenção,nem amou, seu criador,em seu coração.
4ª criança - (com uma grande estrela dourada ou prateada).Deus mandou seu filho,do alto raiou a luz;Jesus rendeu a vida,morreu por nós na cruz.
JUNTAS:Cantem nossas almas,hinos de louvorpelas grandes bênçãos,que mostram seu amor.
Sugestões de lendas e contos:
Flor da noite de Natal
Conta a lenda que uma camponesa olhava do lado de fora de uma igreja as pessoas oferecendo presentes ao Menino Jesus. Ela se sentia triste, pois não tinha nada para homenagear. Então um anjo apareceu e lhe disse: "Apanhe algumas plantas que crescem ao lado da estrada e oferece como presente."Ela aceitou o conselho e apanhou uma porção de folhas de poinsettia verdes e as levou para dentro da igreja. As pessoas da congregação riram quando a viram entrar com suas roupas maltrapilhas carregando um punhado de ervas daninhas. Envergonhada e ruborizada diante da situação, conforme seu rosta ficava vermelho, um fenômeno aconteceu: as folhas mudaram de cor, tornando-se em vermelho sangue, transformando-se em lindíssimas flores. As pessoas ali presentes ficaram extasiadas com o fato.Esta flor, conhecida como "bico-de-papagaio", tem o nome científico de Poinsettia, uma homenagem ao seu descobridor Dr. Poinsett. Ele a encontrou no México em 1828, e é chamada por "Flor da Noite Feliz".A explicação científica para a mudança de cor, se dá pela reação da planta exposta a luz durante muito tempo.A última árvore de NatalUm antigo conto de NatalEu vi um caminhão cheio de árvores de NatalE cada uma tinha uma estória prá contar,O motorista colocou-as numa fileiraEsperando que as pessoas as viessem comprar.Ele pendurou umas luzinhas brilhantesE uma placa em que se podia ler"ÁRVORES DE NATAL"e em vermelho escrevia"ÁRVORES DE NATAL PARA VENDER"Ele se serviu de chocolate quenteNuma garrafa térmica fumegante,E assim começou a nevarEnquanto uma família estacionava esfuziante.Uma mãe, um pai, e um menininhoPararam o carro, rapidinhoVieram caminhando e começaram a procurarA perfeita árvore para se decorar.O garotinho ia na frente,com seu olhar reluzente, a exclamar:"Elas têm cheiro de Natal, mamãe!Sinto cheiro de Natal em todo lugar.""Vamos comprar uma árvore de quilômetros de altura!A maior que pudermos encontrar!Uma árvore que encoste no teto!Uma que nem dê para carregar!""Uma árvore tão grandeQue até mesmo o Papai Noel, quando olhar,Vai se admirar:"Esta é a árvore mais belaQue já vi neste Natal!"Para achar o pinheirinho perfeitoProcuraram com muita prontidãoAqui e ali, e até mais de uma vez,O papai examinou e balançou mais de seis!"Mamãe, mamãe eu achei, eu achei!O pinheirinho que mais gostei!Tem um galhinho quebradoMas que pode ficar disfarçado.""Do anjinho da vovó tiraremos o póE lá no alto esperandoFicará nos guardando.Poderemos comprá-la? Por favor, por favor!Pediu com fervor.""Que tal tomarmos chocolate quente?"Perguntou o vendedor indulgente.Enquanto abria a garrafa para aquela gente."Isto sim vai aquecer o ambiente!"Em três pequenos copos de papelEle serviu o chocolate espumante,Enquanto brindavam, esperançosos,Por mais um Natal esfuziante."Você escolheu certinho", disse ele,"Este é realmente o melhor dos pinheirinhos".Mas o garotinho estava agoniado,Pois o preço, para o pai, era muito elevado."Feliz Natal"disse o homem,Amarrando o pinheirinho com um cordão."A árvore é sua com uma condição:Manter uma promessa de Natal.""Na noite de Natal,Quando for deitar e rezar,Prometa no seu coraçãozinho guardarO encanto do Dia de Natal!""Agora corra para casa!Pois este vento geladoSuas bochechas têm queimado.E peça ao papai para com todo cuidadoEnfeitá-la com os ornamentos comprados.E que, no fim da empreitada,Mate-lhe a sede, coitada!"E assim foi com o vento zunindoDurante toda a noite gelada.Tendo o homem dado árvore,Após árvore,Após árvore...Para cada pessoa que apareceu,Brindou com o chocolate espumanteNos pequenos copos, tão quentes,Para manter aconchegante o ambiente.Quem jurou manter a promessaDe guardar no coração o encanto do Natal,Saiu na noite contenteCantando canções alegremente.E quando tudo acabouSó uma árvore restou:Mas ninguém estava láPara esta árvore adotar.O homem que vendia árvores, então,Vestiu seu grosso casacãoE partiu para a florestaCom a última árvore da festa.Ele deixou o pinheirinhoPerto de um pequeno riachinho.Para que as criaturas, sem pousada,Pudessem fazer dela sua morada.Ele sorria enquanto tirava os flocos de neveQue na sua barba encontrava.Foi aí que de trás de um arbustoUma rena quase lhe pregou um susto.Olhou para ela e sorriu.Fazendo um carinho na grande criatura,Pensou com brandura:"Parece que o Natal chegou novamente!.""Ainda temos muito chão,E muitas coisas por fazer!Vamos para casa, amigo, trabalharNeste Natal que vai começar.Ele olhou para o céu,Ouviu os sinos a tocar,E, num pestanejar...O vendedor já não estava mais lá!
SUGESTÕES DE ENFEITES PARA A ÁRVORE DE NATAL
1. Bolas de Isopor grande enfeitadas ao gosto de cada turma
2. Artesanatos em geral
3. anjinhos
4. botinhas de Eva
5. cartões de natal
6. papais-noéis
7. estrelinhas cobertas com glíter]

[DSC02639[3].jpg]


TAPETE PEQUENA SEREIA

TAPETE COM FANTOCHES
R$ 95,00
CLICK NA IMAGEM
pequena sereia

JOGO DA VELHA TARTARUGA QUATRO EM UM

                                                           CUSTO DO JOGO R$ 15,00











HALOWEEN


Introdução
O Halloween é uma festa comemorativa celebrada todo ano no dia 31 de outubro, véspera do dia de Todos os Santos. Ela é realizada em grande parte dos países ocidentais, porém é mais representativa nos Estados Unidos. Neste país, levada pelos imigrantes irlandeses, ela chegou em meados do século XIX.
História do Dia das Bruxas
história desta data comemorativa tem mais de 2500 anos. Surgiu entre o povo celta, que acreditavam que no último dia do verão (31 de outubro), os espíritos saiam dos cemitérios para tomar posse dos corpos dos vivos. Para assustar estes fantasmas, osceltas colocavam, nas casas, objetos assustadores como, por exemplo, caveiras, ossos decorados, abóboras enfeitadas entre outros.
Por ser uma festa pagã foi condenada na Europa durante a Idade Média, quando passou a ser chamada de Dia das Bruxas. Aqueles que comemoravam esta data eram perseguidos e condenados à fogueira pela Inquisição.
Com o objetivo de diminuir as influências pagãs na Europa Medieval, a Igreja cristianizou a festa, criando o Dia de Finados (2 de novembro).


Símbolos e Tradições


Esta festa, por estar relacionada em sua origem à morte, resgata elementos e figuras assustadoras. São símbolos comuns desta festa: fantasmas, bruxas, zumbis, caveiras, monstros, gatos negros e até personagens como Drácula e Frankestein.
As crianças também participam desta festa. Com a ajuda dos pais, usam fantasias assustadoras e partem de porta em porta na vizinhança, onde soltam a frase “doçura ou travessura”. Felizes, terminam a noite do 31 de outubro, com sacos cheios de guloseimas, balas, chocolates e doces.


Halloween no Brasil


No Brasil a comemoração desta data é recente. Chegou ao nosso país através da grande influência da cultura americana, principalmente vinda pela televisão. Os cursos de língua inglesa também colaboram para a propagação da festa em território nacional, pois valorização e comemoram esta data com seus alunos: uma forma de vivenciar com os estudantes a cultura norte-americana.
Muitos brasileiros defendem que a data nada tem a ver com nossa cultura e, portanto, deveria ser deixada de lado. Argumentam que o Brasil tem um rico folclore que deveria ser mais valorizado.
Para tanto, foi criado pelo governo, em 2005, o Dia do Saci (comemorado também em 31 de outubro).

Fonte: http://www.suapesquisa.com/datascomemorativas/halloween.htm
.post img{border: 1px solid #000000;padding: 1px;}
.post a:hover img{border: 1px solid #6699FF;}
Nossa, não sou mais criança mais com essa historinha eu fico encantada!
Sâo personagens horripilantes e tem um final surpreendente e amigável.
Uma excelente história para contar as crianças e tambem para fazer uma apresentação para o dia das bruxas.
Para baixar: CTRl+C e CTRL+V no seu arquivo do WORLD.


Autor: Arden Druce  
Ilustrador: Pat Ludlow  
Tradutor: Gilda de Aquino

10 de out de 2010

PROJETO BONEQUINHA PRETA EM CD




Projeto "Bonequinha Preta"

"Que seria de nós se não sonhássemos um pouco?" (Alaíde Lisboa)

13 e. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves, 1957. [A 1a. edição é de 1938, pela Francisco Alves. Narrativa infantil que mistura personagens urbanos e do folclore brasileiro]
Fonte: Centro de Referência em Educação - SP







Sugestões:

* Leve o livro e uma bonequinha preta(feita de pano)para a sala de aula,mas prepare todo o ambiente para que os alunos fiquem curiosos para saber do que se trata.
* Decore uma caixa com papéis coloridos e fitas,será uma caixa surpresa e dentro coloque o livro e a bonequinha.Espalhe pela sala cartazes pequenos com desenhos que possam levar as crianças a fazerem perguntas,desenhe por exemplo:A roupinha da boneca, o sapatinho,um gatinho,etc...
* Ao abrir a caixa, mostre primeiro a boneca.Explique que ela é uma visita e que ficará alguns dias na sala. Arrume um lugar pra ela se sentar!Deixe que os alunos peguem a boneca,faça esta atividade em rodinha,todos sentados no chão da sala mesmo.Vão surgir algumas perguntas e você deverá respondê-las, anote-as,faça um registro de tudo o que está ocorrendo nesta atividade.Se possível fotografe todas as atividades.
* Durante toda a semana trabalhe com o livro, mostre a capa,explore-a bem, fale sobre a autora:Alaíde Lisboa de Oliveira. Se possível,mostre aos alunos uma foto dela.Ao iniciar o conto, leia com voz suave,sem pressa. Os alunos, quando gostam de uma história ,sempre pedem para ouvir novamente e isso é ótimo! Não leia o livro todo em um único dia,vá deixando as crianças com vontade de "quero mais!"
*Ao final da história procure saber deles o que mais gostaram,o que não gostaram,se mudariam algo na história, o que aprenderam com ela,você pode começar a trabalhar algumas questões a partir daí,como os nossos valores,o amor, o egoísmo, a questão de sermos diferentes com relação a cor,mas que somos todos iguais perante Deus, trabalhe o respeito ao próximo,a amizade,etc...
Sugestões de Atividades:
* Fazer com os alunos um mural com desenhos da bonequinha preta.
* Montar um quebra cabeça da bonequinha,fazer colagens, dobraduras,pintura a dedo,modelagem,alinhavo...
* Fazer uma bonequinha de pano para cada um e deixar que façam e vistam a roupinha nela.
* Fazer um livrão de reconto, as crianças fazem o reconto você anota e elas desenham as cenas.
*Uma dica bem legal é fazer com os alunos o aniversário da Bonequinha Preta.Faça convites,decore a sala com balões.Neste dia,leve um bolo,docinhos,salgados e sucos,enfeite a mesa...As crianças amam esta festa,lembre-se se fotografar e não esqueça de colocar a bonequinha sentada a mesa também...
*Montar uma exposição com todos os trabalhos desenvolvidos durante este projeto, montar um painel com as fotos mostrando que todo o trabalho foi feito com muito carinho e teve início,meio e fim.Faça um livro de visitas, faça uma lembrancinhas para os visitantes(Pirulito embrulhado com aqueles papéis de bala de franjinha,de cor preta,e coloque uma fitinha vermelha,formando o cabelinho dela,faça olhinhos e boca)
Fonte: Qdivertido
Vídeos:




Relato de experiência:
Desenvolvido entre os alunos da escola, focalizando a ampliação da prática de alfabetização e do letramento. Durante o Projeto, as crianças da Educação infantil levaram a nova “amiguinha” para a casa e registraram seu cotidiano através de desenhos. A bonequinha foi alimentada, tomou banho e sua História conhecida por todos e recontada pelas crianças atavés de desenhos e registradas por seus pais no “livrão da turma”.EscolaMarucas
***

Mais Sugestões...

Cada família deveria construir com sua criança uma bonequinha preta, utilizando-se de materiais diversos. Apareceram bonecas lindas!
Ao receber a tarefa de fazer uma bonequinha preta as famílias recebiam também uma folha onde deveriam relatar a construção, e como foi a experiência.Foi feito então com os relatos um livro de registro dos trabalhos.
Fonte: ProjetosComArte
***

Poesia: Minha Bonequinha Preta, de Cida Valadares, Leia clicando aqui!
***

Sugestão de temática para desenvolvimento de projeto maior:

PROJETO: AFRICANIDADE

Ilustração sobre o projeto: A influência da cultura Africana no cotidiano brasileiro.
Histórias trabalhadas: A Bonequinha Preta - Alaíde Lisboa de Oliveira.
O menino Marrom - Ziraldo
Históras Africanas para contar- Rogério Andrade Barbosa.
Galeria: Mostra de ilustrações feitas pelos alunos:
Fonte: ProfessoraNairCorrea

***
Para ter arquivos e mais sugestões, clique aqui e acesse "A cor da cultura".

***
Sugestão de bonequinha preta para o mural:
***
Visite este álbum no Flickr para ter acesso aos moldes dos dedoches da Bonequinha Preta!

***
Quem é Alaíde Lisboa do Nascimento?

Alaíde Lisboa é natural de Lambari (MG), onde passou a infância e a adolescência. Integrante da Academia Mineira de Letras, a professora tornou-se, em 1950, a primeira vereadora de Belo Horizonte. Na UFMG, lecionou Didática Geral e Especial. Foi também diretora do Colégio de Aplicação da Universidade e vice-diretora da Faculdade de Educação (FaE), onde organizou o mestrado da área. Atuou como professora da pós-graduação na FaE e na Faculdade de Medicina, dedicando-se à disciplina Metodologia do ensino superior.
Nesta quinta-feira, 22 de abril, a escritora, educadora, ex-vereadora e professora da UFMG Alaide Lisboa completa 100 anos de vida. Para comemorar a data, a Academia Mineira de Letras (AML) preparou uma série de homenagens à autora do clássico infantilBonequinha Preta, obra lida por diversas gerações de crianças brasileiras. Às 17 horas, será celebrada, no auditório da AML, uma missa em nome da professora. Às 18 horas, haverá sessão solene da Academia em comemoração a seu centenário de nascimento.
Fonte: CEDECOM
http://espacoeducar-liza.blogspot.com/2009/06/bonequinha-preta-livrinho-sugestoes.html Acessado em 26/10/2009

20 de set de 2010

TAPETE PARA CONTAR HISTÓRIA




HISTÓRIA DA CHAPEUZINHO VERMELHO
FANTOCHES PARA CONTAR HISTÓRIA







CD COM OS CINCO CONTOS E MÚSICAS.

PARTICIPE DA CIRANDA DE SONHOS!!!


ENCONTREI ESSE PEDAÇO DE SONHO EM UM BLOG...MUITO ME CHAMOU ATENÇÃO!!!PENSEI...VAMOS CONTINUAR A HISTÓRIA DE JOÃO?
POSTEM OS SEUS COMENTÁRIOS PARA CONTINUAR A HISTÓRIA!!!!

CIRANDA DE SONHOS

Meu nome é João. No lixo de uma casa de gente rica, encontro uma grande caixa de papelão. É a embalagem de um carro com bateria e motor elétrico. Não serve mais para o menino que aí mora, mas para mim é o que mais quero agora.
Levo a caixa para o terrão, um terreno bem grandão, perto do barraco do Pimpão. E quando entro nela, a caixa de papelão logo vira uma embarcação. Com dois cabos de vassoura, vou remando para o alto-mar. É assim mesmo que eu sou, minha imaginação não consegue parar. É assim que eu sei brincar, com brinquedos inventados, porque não tenho como ganhar os brinquedos comprados.
Com um pedaço de mangueira velha, faço um comunicador. Na outra ponta da mangueira, os marujos... "
QUE TAL!!!!! VAMOS CONTINUAR...

O GATO XADREZ

Era uma vez o gato xadrez( TAPETE PARA CONTAR HISTÓRIA-DE FELTRO E TECIDO)
View more presentations from ericarodriguesalegre.

HISTÓRIA CONTADA POR ALUNOS
" O GATO XADREZ 

Era uma vez
um gato xadrez

Para quem não o conheceu
era forte, robusto
um pouco preguiçoso, talvez

Adorava comer de tudo
mas tudo de uma vez

Com o olho maior que a boca
o que passava em sua frente ele
NHOC!!

Tanto fazia
leite com canjica
pão com macarrão... "
O LIVRO :O GATO XADREZ DE BIA VILLELA
View more presentations from ericarodriguesalegre.








Coleção Gato Xadrez para os pequenos
Os três livrinhos da coleção são indicados para crianças a partir dos cinco anos. Através das aventuras do Gato Xadrez, a autora Bia Villela ensina sobre amizade, o tempo, os sentidos e dá dicas de alimentação saudável. Conteúdos que as crianças irão estudar quando forem mais velhas, como geometria, também são introduzidos de forma lúdica.




Gato Xadrez no Jardim Geométrico – Em seu passio pelo jardim geométrico, o gato xadrez faz novos amigos e descobre muitas brincadeiras interessantes para compartilhar em grupo. O livro apresenta as formas geométricas para as crianças e aborda as relações de curiosidade e descobertas do univerno infantil.



Gato Xadrez no Jardim das Delícias - Dessa vez, o gatinho conhece um jardim onde acontece uma feira muito animada e colorida, cheia de coisas gostosas para ele provar. O livro aborda o ato de comer como um momento de grande diversão, ajudando as crianças a explorar a riqueza e o sabor dos alimentos.
Gato Xadrez no Jardim no Relógio - No terceiro volume da série, o Gato Xadrez é convidado a passear em um lugar engraçado, onde existe horário para tudo. Através dessa história, a autora ajuda as crianças a compreender a importância da organização e de saber administrar o tempo para que ele renda tanto para brincar quanto para estudar, dormir, comer e etc.
Ficha técnica:
COLEÇÃO GATO XADREZ
Autora: Bia Villela
Editora: Escala EducacionaL
PLIM! A MÁGICA DA PALAVRETA!

As histórias estão povoadas de animais. Até parece que no território do imaginário eles vivem mais à vontade... pelo menos, mais livres e talvez até mais superlativizados, porque mais cheios de enredos, de aventuras, livres da domesticação e do controle de seus donos!
Gato então é figurinha fácil em história pra criança! Mas, também, há gatos tão célebres! Poderíamos lembrar uma ninhada deles: o Gato de Botas, o gato Felix, Tom, Frajola, Garfield etc. Sem esquecer, é claro, do mais enigmático, o gato de Cheshire, o famoso gato de Alice no País das Maravilhas, com aquele sorriso de orelha a orelha, marcando para sempre sua existência no mundo da fantasia.
Mas gato tem ainda uma simbologia vasta, dependendo da civilização. Para os celtas ele já teve nove vidas (atualmente tem sete); seus mistérios associam-no aos poderes da lua, ao mundo da magia e às bruxas; e os machos pretos eram a personificação do diabo. Para o budismo ele representa a sabedoria, a prudência e a vivacidade. Para a tradição popular japonesa era um animal que atraia má sorte. No antigo Egito era um ser divino, que ao morrer (de morte natural) obrigava as pessoas da casa a rasparem as sobrancelhas em sinal de luto. Enfim, estamos diante de um “personagem” que tem atrás de si uma enorme riqueza simbólica.


Mas, tão propalado como o gato que ri é o tal do gato xadrez! Nomeado aos quatro ventos, pelos versos populares: “Era uma vez um gato xadrez,,,, quer que eu te conte outra vez?”; “Era uma vez um gato xadrez, entrou num buraco e saiu outra vez”; “Era uma vez um gato xadrez. Pulou a janela, quer que eu conte outra vez?”. São muitas as variações possíveis! Tantas quantos são os pulos do gato! Êpa, outra idéia da cultura popular: “o pulo do gato”.  Aquele escondido na manga, para usar quando menos se espera, e que não se ensina pra ninguém! A cartada final, transformadora! E redentora!
E respaldada neste universo de significações, está a história de Letícia Wierzchowski. O livro conta de um gato xadrez que queria porque queria mudar de cor. Era intelectual, falava línguas, mas queria ser discreto. Seu desejo de mudança de pelagem o levou a uma loja de tecidos, a um cabeleireiro e nada! Até que se depara com um periquito adivinho, que sugere os serviços de uma bruxa que curava qualquer coisa. Montado em uma águia de fino humor, o gato vai parar na casa da bruxa, que ficava num desfiladeiro, no alto da colina. Mas a bruxa mal falada e acostumada a mal-feitos, está gora aposentada, embora faça alguns feitiços usando técnica moderna. Se o pedido do gato xadrez, para ser preto de fato, for atendido, pode até pintar um romance e uma sociedade, unindo línguas e informática. Quem sabe?
A história é contada em versos e por isso tem o aspecto de um grande poema narrativo. O livro torna-se assim, delicioso, por uma série de motivos: a musicalidade das rimas, as quadras elegantes e um vocabulário sem concessão ao fácil. Há “estrofes” de três, quatro, cinco, seis versos:

“Um gato xadrez é muito visado
sob o sol ou sob a lua
é o mais vistoso da rua
é sempre o grande culpado.”

(...)

“Um intelectual felino
que sonhava com
um pêlo alabastrino
e um ar de lorde inglês.”

E são muitas as idéias engraçadas na história: um gato que tem astigmatismo e por isso se sente incomodado com seu pêlo xadrez, uma águia que gosta de churrasco de menino, uma bruxa doente e aposentada, um pouco esquecida, que doou seu caldeirão, que mora numa casa alada (e branca!) e usa i-pod, computador e internet! O livro desconstrói o estereótipo da bruxa clássica, modernizando-a com todos esses elementos! Mas a risada da bruxa está lá, embora ela mesma diga:

“Tu tens sorte, disse a bruxa.
Fazer maldades não está com nada.
E, além disso, ando doente
e sempre derrubo a poção”.

Mas a maldade clássica é redimida mesmo pelo amor. E é o gato quem propõe a união exótica, que acaba gerando uma imagem romântica: um gato que faz pudim, que ensina latim, que vai à quitanda, declama Rimbaud (o poeta francês) e cultiva alamanda no jardim; uma bruxa que faz ginástica, varre a varanda, faz tricô e trabalha com computador. A graça é mantida o tempo todo com essas soluções contrastantes e inusitadas!
Dessa forma, gato e bruxa continuam inseparáveis!
As ilustrações do livro são todas em preto e branco (aparentemente feitas a nanquim!): um retângulo, de tamanho regular, aplicado num fundo branco, com bordas xadrez. Nas páginas de texto, a letra grande e a cor lilás completam o projeto gráfico. Essa intercalação do lilás e do branco, no virar das páginas, produz um contraste dinâmico e de bom impacto. Talvez, exatamente por ser o lilás a cor da alquimia, da energia cósmica, da inspiração espiritual e da magia. E o uso dessa cor fica perfeito como significado da transformação!
Letícia Wiercozchowski ficou conhecida pelo seriado “A casa das sete mulheres”, adaptado pela Rede Globo, em 2003. A minissérie revelou e projetou sua obra, sua escrita e seu talento. Para crianças já publicou: O dragão de Wawel e outras lendas polonesas; Todas as coisas querem ser outras coisas; O menino paciente (em parceria com seu marido Marcelo Pires). 
Virgílio Neves tem sido sempre o ilustrador dos livros infantis de Letícia, exceto o de lendas polonesas, ilustrado por André Neves.

Celso Sisto é escritor, ilustrador, contador de histórias do grupo Morandubetá (RJ), ator, arte-educador, especialista em literatura infantil e juvenil, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Mestre em Literatura Brasileira, pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Doutorando em Teoria da Literatura, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) e crítico literário de várias colunas dedicadas à literatura infantil e juvenil, na mídia impressa e on line.

Related Posts with Thumbnails